Top 5 – O que eu andei lendo

Olá pessoal! Estava sumido aqui do blog porque resolvi fazer o IELTS (a prova de inglês), mas vou gravar um vídeo contando mais sobre isso. Como tive pouco tempo para me preparar (cerca de um mês), me dediquei bastante aos estudos e com isso li mais livros em inglês. A boa notícia é que todos eles são ebooks grátis (de domínio público), então se você também quer praticar, aproveite os links.

 

orgulho e preconceito

Comecei lendo Orgulho e Preconceito (Pride & Prejudice) da Jane Austen, o que talvez não tenha sido a melhor escolha. Claro que o livro é uma obra-prima, mas a trama não me atraiu muito. Demorei para terminar de ler! Quando estava próximo do final, assisti o filme, e isso me ajudou a mergulhar um pouco mais na história. Aliás, o filme é muito bem adaptado, e bem fiel ao livro (apenas o fim é um pouco diferente). O inglês é bem difícil, e repleto de termos arcaicos que não são mais utilizados, o que dificultou um pouco a leitura. A história tem muitos personagens, e tenho um pouco de dificuldade quanto a isso. Por isso foi bom ler no aplicativo do Kindle, pois conseguia consultar o índice de personagens para me ajudar. Aliás, eles são super bem construídos, e a relação entre eles é um ponto alto da história. Apesar destes detalhes, gostei de ter lido o livro e conhecer melhor este clássico. A ambientação lembra muito Downtown Abbey, então você gosta do seriado tem grandes chances de gostar do livro. Baixe grátis aqui.

 

madame_bovary

Quando estava terminando Orgulho e Preconceito, comecei a intercalar com Madame Bovary. Pois é, tenho esta mania de ler vários livros ao mesmo tempo (eram 4, no caso). O inglês era um pouco mais fácil que o do livro anterior, mas ainda assim em um nível avançado. Achei o começo da história interessante, mas perdi a motivação um pouco depois. Basicamente porque a Madame Bovary é um personagem muito irritante (não mais que America Singer, claro). Vale lembrar que o livro causou escândalo na época do seu lançamento, principalmente devido ao tema do adultério. De uma forma geral, não curti muito. Baixe grátis aqui.

 

the raven

Este foi um dos livros que mais gostei de ter lido neste período. O Corvo é um clássico da poesia do período mais “macabro” do romantismo. Não imaginava que o livro seria tão curto, dá para ser lido em uns 20 minutos. Não costumo ler poesia, mas a métrica e ritmo dos versos de Poe são incríveis. É um livro para ser lido no idioma original. O inglês é um pouco difícil, mas várias palavras são repetidas. Como a história é curta, vale a pena ler com o Google Tradutor ao lado. Baixe grátis aqui.

 

selva_de_gafanhotos

Ganhei Selva de Gafanhotos e mesmo no meio da rotina de estudos, não consegui parar de ler. A história é bem envolvente, e um pouco maluca. A edição é muito bem feita, com capa verde fluorescente e bordas das páginas em amarelo. A história tem várias repetições, que fazem sentido dentro do livro, mas que me incomodaram um pouco, assim como o egoísmo do personagem principal. Outro detalhe é que o autor tenta dar explicações para a origem dos gafanhotos gigantes e outros experimentos, mas na realidades elas não fazem nenhum sentido científico. Pra mim o livro seria ainda melhor se continuasse sendo um realismo fantástico. Tirando isso, a leitura foi divertida.

 

mini livro o pequeno principe

Pra finalizar, reli O Pequeno Príncipe pela milésima vez. Levei esta edição mini-livro para o trabalho e lia enquanto o computador estava travado (mas já consegui resolver este problema hahaha). Gosto muito da história, principalmente porque consigo enxergar um detalhe diferente a cada vez que leio. Com certeza lerei de novo em outras ocasiões.

Também comecei a ler O Retrato de Dorian Grey em inglês (Baixe aqui) mas ainda não terminei. A história é bem diferente do que eu imaginava e com certeza vou acabar. Junto com ele estou lendo Toda Luz Que Não Podemos Ver e estou adorando, por enquanto. Quando acabar faço resenha aqui no blog. Aliás, você quer resenha completa de algum destes livros acima? Me conte nos comentários! Um abraço e até a próxima!

Wind, Sand and Stars – Antoine de Saint-Exupéry

O Pequeno Príncipe é um dos meus livros favoritos, e sempre achei que Saint-Exupéry tinha falecido sem deixar outras obras. Fiquei surpreso quando descobri outros livros do autor, entre eles o Wind, Sand and Stars. A proposta do livro, no entanto, é bem diferente. Nele o autor conta várias memórias de quando era piloto, especialmente enquanto sobrevoava os desertos à serviço dos correios. Suas viagens são descritas com detalhes, especialmente os acidentes (que são muitos). Em várias passagens conseguimos vislumbrar detalhes que podem ter inspirado O Pequeno Príncipe. Talvez você não lembre, mas o narrador-personagem era aviador! Existem ainda vários trechos inspiradores, com aquelas frases ótimas para anotar em um bloquinho ou marcar com post-it.

exupery

Mas não vou mentir, de uma forma geral não gostei tanto do livro quanto esperava. Já havia começado a lê-lo alguns anos atrás e desistido. Desta vez, no entanto, consegui terminar! Na minha opinião, o livro não prende muito a atenção, e me pegava distraído durante a leitura. O fato de o inglês ser relativamente difícil, e repleto de termos de aviação pode ter contribuído para esta sensação. Descobri (obrigado @bellatuk!) que ele também foi lançado aqui no Brasil, com o título Terra dos Homens, similar ao original francês Terre des hommes. A edição mais recente foi feita pela editora Nova Fronteira, mas me parece que não está mais em circulação. Falei mais um pouco sobre este e outros livros no vídeo Lidos de Abril! Um abraço e até a próxima!

Clube da Luta – Chuck Palahniuk

Primeiro de tudo vou confessar: nunca assisti o filme. Por isso esta resenha está livre de comparações! Por outro lado, já sabia o grande plot twist da história, mas não se preocupe, esta resenha é livre de spoilers. Encontrei ele como e-book, e a leitura foi super rápida. Acho que demorei menos de 24h em um feriado. Já contei no vídeo Lidos de Abril que este livro me surpreendeu bastante. Achava que ele focava apenas no Clube da Luta em si, nos caras se batendo, mas não! No fim do livro, o próprio escritor fala que ele poderia ser sobre qualquer clube, o Clube do Selo, o Clube do Golfe. Mas ele optou pelo Clube da Luta.

A forma de escrita é bem peculiar! Ele é escrito em primeira pessoa, com um fluxo de consciência. Como o personagem principal (cujo nome nunca descobrimos) sofre de alguns problemas psicológicos, a escrita é bem fragmentada e em alguns casos repetitiva. Logo no início o personagem me lembrou muito o Charlie, de As Vantagens de Ser Invisível, de uma forma estranha. Como se ele tivesse crescido e ficado violento. De certa forma, a escrita se parece também com a do livro Selva de Gafanhotos (que estou lendo agora).

O personagem principal está em meio a uma crise existencial. Para tentar dar sentido à sua vida, no início ele freqüenta encontros para pessoas com doenças terminais que ele não possui, em todos os dias da semana. Depois ele mergulha em uma espiral anarquista e auto-destrutiva, tendo o Clube da Luta como centro. A história é repleta de críticas à sociedade e ao status quo. Por incrível que pareça, é menos violenta do que imaginava. O fluxo de consciência faz que com você entre direto na cabeça do personagem, compartilhando sua agonia. Não consigo imaginar como este aspecto foi apresentado no filme, e estou curioso para descobrir. E você, já assistiu e/ou leu o Clube da Luta? Conte pra mim qual você prefere!

 

Resenha: Starters – Lissa Price

O livro Starters foi lançado em 2012, e desde então eu ficava adiando sua leitura. Ele é uma distopia jovem, ambientada em um mundo onde não existem adultos. Eles foram dizimados por uma guerra e agora as cidades são habitadas apenas por crianças, adolescentes e idosos. Callie e seu irmão mais novo perderam os pais e não tem onde morar, e assim como outros jovens precisam trocar constantemente de abrigo.

A empresa Prime Destinations desenvolve uma tecnologia que permite que os Enders (os idosos) possam habitar os corpos de Starters (os adolescentes) por um curto período e assim sentirem-se jovens novamente. O processo deveria ser seguro, e garantir aos Starters uma grande quantia em dinheiro. Como o irmão de Callie sofre de doenças respiratórias, ele decide participar do processo para pagar o tratamento do irmão. Mas algo dá errado no processo, e ela acorda em meio ao aluguel, descobrindo-se em envolvida em uma conspiração.

A história é escrita de forma leve, o que torna a leitura bem rápida. O livro é relativamente curto (cerca de 350 páginas), e possui uma continuação chamada Enders. Ótimo para descansar um pouco da avalanche atual de trilogias. Mesmo tendo uma continuação, o final de Starters é relativamente satisfatório, e sobram poucas coisas a serem resolvidas no próximo livro. Vale lembrar que ele é um livro middle grade (infanto-juvenil), e a sociedade distópica não é tão desenvolvida. Ainda assim, é mais complexa que A Seleção, por exemplo. O romance central é um pouco forçado, mas não chegou a me incomodar.

Li o e-book em inglês, e o vocabulário era relativamente fácil. Creio que seja uma ótima opção se você está procurando um livro para  começar a ler na língua. Aliás, estou preparando um vídeo com dicas para começar a ler em inglês e irá ao ar em breve! Para terminar, deixo abaixo o vídeo que já gravei com a resenha do Starters!