Memórias de uma Gueixa – Arthur Golden

Já começo o post dizendo que com certeza este foi o melhor livro que li este ano. Assim como A História sem Fim, já fazia um tempinho que ele estava parado ali na estante, e resolvi que chegou a hora dele! Memórias de uma Gueixa conta a história da jovem Chiyo, que é vendida por seu pai juntamente com sua irmã para um Okiya*, enquanto sua mãe estava doente. (*Okiya é o local onde criadas, aprendizes e gueixas vivem, enquanto durar seu contrato.) Chegando em Kyoto, ela é separada da sua irmã e obrigada a enfrentar dias terríveis entre treinamentos e punições, além de agüentar a cruel gueixa Hatsumomo.

gueixa

O livro acompanha todo o crescimento de Chiyo desde menina, trabalhando como criada, até a sua transformação na gueixa Sayuri. Você sabia que a palavra gueixa significa artista? Elas são treinadas para entreter, dançar, tocar shamisen, servir saquê e chá e muitas outras atividades. A história possui um ritmo calmo, mas não chega a ser lenta. Não acontecem grandes reviravoltas, é um livro que retrata o cotidiano e os hábitos das gueixas e aprendizes, entre apresentações de dança e casas de chá.

memórias de uma gueixa paperback

A personagem principal é fictícia, mas os costumes das gueixas são supostamente reais. É difícil saber o quanto do livro é fiel à realidade. Ele foi lançado em meio a grandes polêmicas, especialmente com relação à prática do mizuage, que foi retratada de forma imprecisa segundo a gueixa cujos depoimentos foram utilizados para escrever o livro. Esta gueixa inclusive moveu um processo contra o escritor.

memórias de uma gueixa

Apesar de não ter um interesse especial pelo assunto, achei o livro muito interessante. Fiquei realmente imerso na história. Não gostei muito do final, mas isso acontece com freqüência. A versão original do livro continham 850 páginas, quase o dobro da versão publicada. Presumo que esta edição tenha deixado o final mais apressado. Além disso, no período que retrata a Segunda Guerra, há uma certa “propaganda” americana, mas nada que interfira na história (ao contrário do que acontece em O Cavaleiro de Bronze, da Paullina Simons). Agora quero assistir o filme! Ouvi falar que a fotografia é muito bonita, mas não sei o quanto é fiel ao livro. Você já assistiu? Um abraço e até a próxima!

Anúncios

O Cavaleiro de Bronze – Paullina Simons

Pegue um cobertor e um chá quente, porque você está prestes a ler 800 páginas sobre a Rússia na Segunda Guerra Mundial! Tatiana vive com sua família em um pequeno cômodo de Leningrado, quando descobrem que os alemães começaram a atacar a União Soviética. No mesmo dia ela conhece o oficial do exército Alexander e se apaixona perdidamente (claro), apenas para descobrir alguns dias depois que ele namora a sua irmã Dasha.

capa cavaleiro de bronze

É o clássico amor impossível! Juntos eles têm de enfrentar a guerra, o frio e a fome. Os capítulos que descrevem o bloqueio alemão e o racionamento de comida durante o inverno são particularmente envolventes. Acho importante comentar que o livro não é sobre nenhum cavaleiro. O nome dele remete ao poema de mesmo nome de Púchkin, um dos clássicos da literatura russa, e também à estátua do fundador de São Petesburgo, comentada em ambos os textos.

De um modo geral, eu gostei! É um romance histórico bem tradicional. Porém em vários trechos ele se torna muito repetitivo. Acredito que a história seria mais interessante e menos cansativa se tivesse 200 páginas a menos. Além disso, os personagens são um pouco estereotipados. Por exemplo, quase todos os homens russos são mal educados, grossos e cheiram mal. Na minha opinião a história também foca demais nos personagens principais, que não são especialmente interessantes.

back bronze horseman

Na versão original, em inglês, os dois livros estão encadernados no mesmo volume. Já na versão nacional, são vendidos separadamente. Achei a  primeira parte mais interessante, especialmente o final, porém ao começar a segunda parte tudo ficou morno novamente. Originalmente, o livro faz parte de uma trilogia, porém até o momento apenas o primeiro foi lançado por aqui (dividido em dois). Não pretendo continuar lendo a série, porque sinceramente não fiquei curioso para descobrir o destino dos personagens.

review cavaleiro de bronze

Lendo as resenhas no Skoob, notei que várias pessoas gostaram muito de livro, e se apaixonaram por Tatiana e Alexander, então talvez você queira dar uma chance para ele! Acredito que a leitura em inglês tenha contribuído para tornar a trama um pouco maçante para mim. Se fosse escolher um livro que se passa na União Soviética no início do século XX, preferiria O Palácio de Inverno de John Boyne.

E você, gosta de livros sobre amores impossíveis? Me conte qual é seu favorito!